Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2012

Canção dos Mil Anos.

Ela chegará com a primeira gota de chuva,
trazendo consigo a escuridão,
não restará luz no seu caminho,
os ventos arrancaram árvores do chão,
e até os inocentes serão atingidos,
ela irritará as águas e sobre as cidades ela cairá,
haverá tristeza e choro,
e tudo será consequências,
não bastará uma perda
serão muitas,
os ventos sopraram forte e derrubaram casas;
haverá pranto e comoção,
a humanidade se ajudará,
porque o céu ficará negro,
e porque o Sol demorará á chegar,
e porque a sua vinda será pior, pior do que a sua espera.
E não haverá lugar seguro,
e descerá fogo do céu, e quando eles chegarem,
acabaram as diferenças, e nada do que será feito acabará,
com o medo que chegará á Terra.
A distância cessará,
e a esperança também.
Os dias serão curtos e as noites longas,
porque a Morte habitará o Mundo;
durante Mil Anos.
Antes que chegue o Dia aguardado pelos Mundos.


Sara.

A Lenda.

De tempos em tempos,
é jogada na terra uma semente,
dessa semente nasce a flor,
mas não é uma flor qualquer,
é uma flor diferente porque ela trás a Luz e Paz.
E é essa flor que guiará o mundo
para fora dessa expensa nuvem negra
na qual ele mergulha.
Diz a lenda que a flor si disfarça
e habita os corações
mais frágeis e ingênuos,
a flor vem ao mundo
com o intuito de trazer a mudança,
mesmo nos mundos mais corrompidos 
ela cumpri sua missão,
a flor exala mistério,e sofre,
porque não há recompensa sem sofrimento.
Ela vem quando o mundo está perdido
e precisa de um rumo.
A lenda diz que a flor exibe bondade e inocência,
que ela muitas vezes vive no meio da tristeza e do desespero,
mas nunca se abala.
A flor reside em cada corpo, em cada alma,
daqueles que querem a mudança;
daqueles que habita honra e generosidade;
a flor está onde menos se imagina e aparece nas horas
que mais se precisa,
ela pode se manifestar na  forma de um sorriso sincero;
de um abraço inesperado;
de um afeto próximo que sentimos …

Na Minha Terra do Nunca...

Eu vejo uma porta, uma porta de palavras, cada palavra escrita leva á um lugar diferente;
existe uma palavra no centro da porta, eu á segurei e a porta se abriu.
Brilha uma luz, uma luz forte,
ela é como o sol, escuto barulho de água,
há uma cachoeira encoberta por nuvens,
vejo um gramado cheio de rosas brancas e flores azuis,
há um caminho de pedras no meio do gramado que leva á uma árvore; nela  há um balanço pendurado,
e maçãs jogadas ao chão.
Há pássaros, muitos pássaros de todos os tipos e cores,
que voam alto e baixo, que estão nas flores, que cantam na árvore,
no campo e na cachoeira;
há também muitas borboletas e gatos; uma porção deles corre atrás de borboletas negras,
negras como a noite.
E a luz continua aqui, forte, rodeada de luzinhas menores que só agora eu vejo, 
voando ao redor da luz forte formando arcos de luz.
Eu vejo uma garotinha sentada no balanço, voando alto,
como se fosse um passarinho,
ela sorri e me chama, pra eu brincar com ela,
Na Minha Terra do Nunca,
onde eu nunca cr…

Vazio?...

Há um vazio, algo que me consome,
não é visível  à mim, nem  aos outros.
Sinto já ser tarde demais para dizer algo a respeito,
temo fazer algo, temo ter que sair do meu casulo,
daquilo que me protege do mundo aqui fora,
eu sei, sei que você quer que eu faça algo, ou diga algo,
me perdoe por não te dar atenção,
por simplesmente ter esquecido o quanto você é importante
para mim.
Mas agora que percebo o vazio,
isso que não existe ou que eu inventei,
estou certa de que não estou certa de nada.
Então não tente mais nada,
não vai adiantar
o vazio está aqui e eu não consigo provar.

Sara.

Breath of Life(Sopro de vida) Florence And The Machine

Florence And The Machine

Eu estava buscando um sopro de vida                               Um pequeno toque de luz celestial
Mas todos os corais da minha mente dizem não
Para conseguir um sonho de vida novamente
Uma pequena visão do início do fim
Mas todos os corais da minha mente dizem não

E preciso de mais um toque
Outra prova, um prazer celestial
E acredito, acredito tanto nisso
E preciso de mais um toque
Outra prova, um prazer divino
E acredito, acredito tanto nisso

Estou do lado de quem,
De que lado estou?
Estou do lado de quem,
De que lado estou?

E a febre começa a se alastrar,
Do meu coração até minhas pernas,
Mas o quarto está tão silencioso
E apesar de estar enlouquecendo,
O coro era tão sublime
E o quarto está silencioso demais

Eu estava buscando um sopro de vida
Um pequeno toque de luz celestial
Mas todos os corais da minha mente cantam não
Para conseguir um sonho de vida novamente
Uma pequena visão do início do fim
Mas todos os corais da minha mente cantam não

É um caminho difícil e surgiu do papel
E s…

O Gato...

O gato espreita, aguarda...
Seus olhos não dizem nada,
mas quem os observa vê muita coisa neles,
os olhos de gato são espelhos,
e vemos o que queremos ver,
quem já parou para encarar um gato,
não sabe o que ele diz com aqueles olhos,
quem nunca parou, observa,
gatos são espertos e sabem o que fazer 
quando querem algo.
Mas também são muito leais,
quando se apegam ao dono,
não há quem duvide que é amizade sincera.
E no meio de tantas contradições,
 eles parecem ser bichos de outro mundo,
espreitando, de cima do telhado,
seus donos solitários.

Certa vez, certo alguém
mostrou-me um poema chamado O Gato,
e disse-me que eu era como o gato,
no ato não entendi,
li e reli-o várias vezes
e sinceramente até hoje não entendo.
Talvez esse seja o sentido...

O Gato
O gato chega á porta do quarto onde escrevo.
entrepara...hesita...avança...
Fita-me.
Fitamo-nos.
olhos nos olhos...
Quase com terror!


Como duas criaturas incomunicáveis e solitárias,
que fossem feitas cada uma por um Deus diferente.
(Mário Quintana)



Sara.