Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

He is We-I Wouldn't Mind

{He is We é uma banda que estou curtindo agora, e to adorando, as músicas deles tem um estilo Hippie e suave, são músicas gostosas de ouvir, e as letras são incríveis, ela é formada por esses dois aí em cima Rachael Taylor (vocalista) e Trevor Kelly (violão),essa que postei,eu estou aprendendo a tocar, ela é muito legal e também muito linda. Espero que gostem. Eu Não Me ImportariaAlegremente nós saímos da linha, saímos da linha Eu cairia em qualquer lugar com você, eu estou do seu lado Balançando na chuva, cantarolando melodias Nós não vamos à lugar nenhum até congelarmos.
Eu não estou mais com medo Eu não estou com medo.
Para sempre é muito tempo Mas eu não me importaria de passar ao seu lado.
Cuidadosamente foram colocados para o nosso destino Você veio e tirou esse coração e o libertou Cada palavra que você escreve ou canta são tão carinhosas para mim, tão carinhosas para mim Eu estou despedaçada, eu estou despedaçada para estar bem aonde você está.
Eu não estou mais com medo Eu não estou com m…

Swedish House Mafia - Don't You Worry Child - Legendado - Tradução | HD

Muito linda essa letra dessa música, adorei... além de vibrante é tão tocante.

Tristeza de Verão...

Quando o calor do sol
toca minha pele,
lembro do seu abraço;
Quando as chuvas de verão
atingem o chão, o  cheiro da terra molhada,
me lembra a serra pra onde fomos no verão passado.
Estou sentada no balanço 
que você fez pra mim,
e quando meus passos
saem do chão,
sinto você me empurrando
e tudo passando tão rápido
eu fecho os olhos 
e sinto sua presença.
Eu devia ter te acompanhado 
naquele dia,
mas você insistiu pra eu ficar.
e eu fiquei... sozinha naquele tarde.
Já é tarde, e eu aqui me recordando
de tudo que passamos juntos,
demorei tanto pra te encontrar,
e agora você se foi...
para sempre.
Todo verão é assim ,eu me lembro do único verão
em que fui feliz,
com você.
Antes de você partir,
agora essa tristeza de verão 
me acompanha por todas as estações do ano.
Já refiz minha vida 
você deve saber disso,
só não consegui te retirar dela,
me perdoe se estou fazendo tudo errado.
Se nem o tempo curou  o que sinto por você,
quem sabe a morte,
possa me curar dessa Tristeza de Verão.

Sara.

Não Deixe Tudo de Lado.

O Ser humano, na maioria das vezes da sua vida, deixa de fazer algo por medo de cair, de tropeçar ou de se ferir.
Ele deixa de amar,
porque já sofreu uma vez;
ele para de sentir,
para não sofrer mais.
Ele deixa de praticar um esporte
por medo de cair,
ele deixa de fazer uma prova
porque dizem que é difícil.
Ele esquece que as pessoas morrem,
por imaginar que vai sofrer
quando perder alguém.
Ele deixa de preservar o planeta par preservar o bolço dele.
Ele deixa de escutar conselhos, pra seguir o que seu desejo pede,
sem temer as consequências.
O ser humano é assim, impetuoso, preguiçoso e desleixado.
Porém, como toda regra, há exceções;
há pessoas determinadas que seguem o que acreditam, que não desistem fácil,
e acima de tudo, pensam nas consequências.
Não é raro encontra-los, nem reconhece-los.
Porque no geral apesar de toda a nossa inclinação ao fracasso,
nos superamos,
e quando alcançamos a meta, somos recompensados.
As vezes na vida é preciso apanhar muito, pra encontrar o caminho…

Entrecontos 1.

Livro. Uma série de contos Fantásticos
da autora Brasileira Ju Lund.
Recomendo.

Sinopse: Com narrativas variadas, Entrecontos 1, convida todos os leitores a entrarem em histórias que “se” não são verdadeiras… Poderiam ser! Compartilhe desta experiência fantástica, todos os contos foram publicados on-line em 2010 pela escritora Ju Lund, e agora possuem seu formato físico.
aqui vai o link do site dela:http://www.julund.com.br/

Clarice Falcão - Monomania

É uma das músicas mais bonitas que já ouvi, e essa cantora tem uma voz doce e linda :) Recomendo: Clarice Falcão.

Soneto da Fidelidade (Vinícius de Morais).

E tudo, ao meu amor serei atento,
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto,
Que mesmo em face do maior encanto,
Dele se encante mais meus pensamentos,
Quero vivê-lo em cada vão momento,
E em seu louvor hei se espalhar meu canto,
E rir meu riso e derramar meu pranto,
Ao seu pesar ou seu contentamento,
E assim quando mais tarde me procure,
Quem sabe a morte, angústia de quem vive,
Quem sabe a solidão, fim de quem ama,
Eu possa me dizer do amor (que tive)
Que não seja imortal, posto que é chama,
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Morais.

Destinos.

Se há dúvida que nos pertuba,
é se fazemos por fazer, ou se o que fazemos
já estava escrito que seria feito.
No mundo há os que dormem para sonhar,
há os que dormem para descansar,
e há os que ,como eu, dormem,
e somente dormem.
Na vida tem pessoas que que querem viver intensamente,
tem pessoas que desejam viver verdadeiramente,
tem pessoas que não querem viver nada,
tem pessoas que querem morrer,
e tem pessoas, como eu,
que não basta viver tem que sofrer muito
pra depois viver.
Destino, creio que sim,
se o destino existe só Deus sabe,
mas que ele causa estragos,
só vivendo pra saber.
Em cada caminho, em cada vida,
em cada obstáculo, em cada saída,
só temos certeza que vivemos,
o resto pode ser mentira.
E assim terminamos o Dia, prontos para a noite,
perdidos na vida,
sem descanso, sem gritaria,
esperando o amor e a alegria.

Sara.

Momentos inexplicáveis.

De repente você coloca
 aquela música que te faz feliz,
e começa a sentir sentimentos inexplicáveis,
e vem uma saudade
 que você não sabe de onde ou de quê?
E você se pergunta porque,
mas não sabe a resposta.
É como tentar explicar o nascer do Sol,
não há palavras que o defina.
Mas então a Música acaba mas o sentimento não,
não há respostas somente perguntas e,
quem sabe alguma Dia você descobre o Porquê.
Não há mais o que dizer tudo parece escuro onde estou,
e confuso.
E em minhas mãos estão os meios, em meu coração, a vontade.
De que eu me questiono?
Não há disfarce que segure o que meu coração quer falar,
não nego só me responda se você conseguir entender.
Não há mais meios já fiz minha escolha,
não quero nem pretendo voltar atrás.
Enquanto tudo se perde e músicas me fazem lembrar coisas que não vivi,
o mundo segue  e eu vou atrás daquilo
que nasci para viver,
seja lá o que for estou indo
e não tardo a chegar,
que o futuro me aguarde,
e que Deus e o acaso me protejam.

Sara.

A Hora do Adeus.

No escuro da noite,
o som do vento vem me acordar.
Meus sonhos são confusos,
suas palavras ainda suspensas no ar.
Seu desabafo ainda fala,
atravessando a noite
seus passos firmes, fortes
acordam quem não deviam acordar.
As duas da madrugada começa á chover,
é justo tudo me lembrar o seu choro,
se você acha que a culpa é minha,
perdão, é o que posso pedir,
se você quisesse que eu fosse embora,
porque não me pediu para ir,
eu teria ido.
Agora é tarde já me apropriei de tudo,
da sua mente, da sua casa, da sua vida,
de você.
Não é segredo que as noites são péssimas,
você quer que eu me sufoque,
mas não nota que é você
quem já se sufocou.
Nunca te prendi aqui,
você diz,
mas eu só posso ir se você abrir mão.
É hora de dizer adeus,
já são cinco da manhã
e hoje teremos um dia nublado.
Não quer me dizer mais nada,
você não se lembra,
mas foi você quem me convidou a entrar...
na sua vida.

Sara.

Na sua estante- Pitty

Te vejo errando e isso não é pecado,
Exceto quando faz outra pessoa sangrar,
Te vejo sonhando e isso dá medo,
Perdido num mundo que não dá pra entrar
Você está saindo da minha vida
E parece que vai demorar
Se não souber voltar, ao menos mande notícias
Você acha que eu sou louca
Mas tudo vai se encaixar

Tô aproveitando cada segundo
Antes que isso aqui vire uma tragédia

E não adianta nem me procurar
Em outros timbres, outros risos
Eu estava aqui o tempo todo
Só você não viu

E não adianta nem me procurar
Em outros timbres, outros risos
Eu estava aqui o tempo todo
Só você não viu

Você tá sempre indo e vindo, tudo bem
Dessa vez eu já vesti minha armadura
E mesmo que nada funcione
Eu estarei de pé, de queixo erguido
Depois você me vê vermelha e acha graça
Mas eu não ficaria bem na sua estante

Tô aproveitando cada segundo
Antes que isso aqui vire uma tragédia

E não adianta nem me procurar
Em outros timbres, outros risos
Eu estava aqui o tempo todo

Tribalistas - Velha Infancia