Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Minhas Perdas.

Eu tinha uma frase na cabeça.
Ela encabeçaria um poema,
mas eu a perdi.
Eu tinha passos,
que me levariam até o caderno,
mas eu não quis levantar daqui.
Eu tinha sono,
mas eu não permiti que ele me embebedasse,
até aqui.
Eu tive um espaço para falar,
mas eu perdi minha frase.
Eu tive um caminho a percorrer,
mas eu perdi meus passos.
Eu tive uma chance de dormir,
mas preferi me embebedar de palavras.
Foi em uma garrafa de palavras que perdi
minha frase.
Se não fez sentido,
não o procure.
Talvez eu o tenha perdido também.

Sara.

Imagem retirada da internet.

A Sentir.

O quão automático você está?
Não sei dizer.
Caminho pelos meus dias,
envolvido pela minha rotina,
encarcerado pelos meus compromissos,
dividido.
Encarando meu reflexo,
sem reconhecer o rosto que vejo.
Meu corpo quer parar, eu insisto
em persistir.
Não tenho tempo é o que eu mais digo, vivo,
não sei dizer.
Quando caminho e olho para meus pés, pernas, passos,
me pergunto quem ou o quê guia este corpo?
Não sei dizer.
E quando eu estou mais envolvido em  minhas tarefas,
decido olhar para o céu.
Ainda bem que eu olho para o céu.
Somente nestes instantes, me dou conta da ilusão que vivo.
O céu é um vão, é tudo e não é nada.
O céu é azul, porque é o azul que é espalhado, quando a luz solar atinge a atmosfera.
Os atronautas não veem esse azul.
Não sei dizer o por quê eu disse isso.
Olhar para o céu me faz bem,
faz com que eu pare e pense na imensidão que me rodeia
e que por vários motivos, não presto a devida atenção.
Sinto me pequeno quando o olho,
sinto me vasta e incompleta.
Sinto prazer e…

Caetano Veloso- Pra Te lembrar

Pra Te Lembrar
Caetano Veloso

Que é que eu vou fazer pra te esquecer?
Sempre que eu já nem me lembro, lembras pra mim
E o silêncio teu me pede pra voltar
Como um anjo lindo
Mais leve que o ar
Tão doce de olhar
Que nenhum adeus vai apagar

Que é que eu vou fazer pra te deixar?
Sempre que eu apresso o passo, passas por mim
Cada sonho teu me abraça ao acordar
Ao te ver seguindo
Mais leve que o ar
Tão doce de olhar
Que nenhum adeus pode apagar

Que é que eu vou fazer pra te lembrar?
Como tantos que eu conheço e esqueço de amar
Em que espelho teu, sou eu que vou estar?
Ao te ver sorrindo
Mais leve que o ar
Tão doce de olhar
Que nenhum adeus vai apagar

Mais leve que o ar
Tão doce de olhar
Que nenhum adeus vai apagar


Composição: Nei Lisboa
Vídeo por Alan Brandão
Letra por letras.mus.br/caetano-veloso/115808/
{Desculpem a qualidade do vídeo. Não está das melhores.}