Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Oração- A banda mais bonita da cidade (c/ leo fressato)

Oração
A Banda Mais Bonita da Cidade

Meu amor, essa é a última oração
Pra salvar seu coração
Coração não é tão simples quanto pensa
Nele cabe o que não cabe na despensa

Cabe o meu amor
Cabem três vidas inteiras
Cabe uma penteadeira
Cabe nós dois

Cabe até o meu amor, essa é a última oração
Pra salvar seu coração
Coração não é tão simples quanto pensa
Nele cabe o que não cabe na despensa

Cabe o meu amor
Cabem três vidas inteiras
Cabe uma penteadeira
Cabe nós dois

Cabe até o meu amor, essa é a última oração
Pra salvar seu coração
Coração não é tão simples quanto pensa
Nele cabe o que não cabe na despensa

Cabe o meu amor
Cabem três vidas inteiras
Cabe uma penteadeira
Cabe essa oração

http://letras.mus.br/a-banda-mais-bonita-da-cidade/1890483/
https://www.youtube.com/watch?v=QW0i1U4u0KE



Em homenagem aos meus amigos do VER SUS-DF.




Anseios...

No anseio de te encontrar te enxergo
onde você não está.
Tão logo me tomou a mudez
tão cedo nenhum afeto expressei.
Olhar nos olhos
olhos que dão medo
que assombram meus sonhos tranquilos
Já te confundi com a calma que precede uma tempestade.
Como uma flor que murcha
e que não teve a chance
de ser guardada em um livro.
Se eu me encontrar
vou perder o que já conquistei
de mim?
Olho para um reflexo,
vejo um rosto que jamais
reconheci como sendo meu.
Há momentos em que ou se aceita
o que é ou desiste de tudo,
sem mais alternativas.
Caminhos que se cruzam
um dia se descruzarão.
Qualquer laço
independente do que se constitui
pode ser desfeito.
Temo pelos caminhos
que vou percorrer, pois o medo já assombra minhas caminhadas.
Eu não sei quem sou,
eu nunca soube.
Eu quero esperar, mas o anseio em mim é vil,
e me deixa inquieto.
Talvez eu só deseje
e nada mais.


Sara.

Escolhas.

Escolha uma inadequação, permita uma ilusão sobre si, desminta aquilo que no seu íntimo se manifesta. Engane-se, maltrate-se, negue, pois negar é mais fácil. Aceitar uma diferença é deixar ir crenças de uma vida inteira. Não diga a ninguém, esconda-se o quanto puder. Até não suportar mais e morrer. Acordar não é viável, desmanchará a ilusão do sonho de adequação, de normalidade, de simetria. Mas então, a diferença se atenuará? Não cobre respostas, caminhos tortuosos virão, dor, o aconchego da ilusão é temporário, mas bastará Para evitar o caos. Manter o caos em si, talvez seja a escolha a ser feita. Não se preocupe talvez um dia você decida acordar, pode ser tarde demais ou não. Só desejo seguir,  neste momento quero deixar que a correnteza da vida me leve, carregue este corpo para longe, e que de onde eu estiver que eu possa ver o céu azul e límpido sem a cobrança de ser quem eu sou.
Sara.


Aquele que deve ser nomeado.

Sutil. Ele avança sem que ninguém perceba. Dá voltas, busca algo, Penetra onde ninguém espera. Nem sempre é silencioso, Algumas vezes de tão estrondoso Parece tempestade. Diz-se que não tem explicação, Nem autor, nem escapatória. Nada previne, nada cura, não existe tratamento. Parece ter vida própria, apodera-se de pessoas, Domina, subjuga, atormenta, ilude. Não se pode classificar em bom ou ruim, É ingenuidade demais fazer uma dicotomia De algo tão multifacetado. Dizem que ele escolhe suas vítimas, Mas como? Ninguém sabe. Não é palpável, nem comestível, Não é gelatinoso, nem indolor, Tem tantas formas que não caberiam No espaço de linhas que me resta. Enfim só, terrivelmente presente, Atordoante, admirável, transformador, Transforma-a-dor em amor.
Sara.


Marc Chagall, Autour d’Elle (Em Torno Dela).  Imagem retirada da Internet.