Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

Absinto

Quase sempre me corrói a alma
um sentimento duro,
pesado, rançoso.
Sobe pelas minhas entranhas
e sacode meu ser.
Me faz lembrar quem sou
e diz muito sobre o que eu quis
esquecer.

Quase sempre choro
por que ele tem gosto amargo
e bebo água a fim de dissipar
o ardor da minha garganta.

Nunca tiro da lembrança
o medo a arrepiar meus cabelos
a se intrometer em meus sonhos
e a me fazer acordar com um peso no peito.

Parece quente e espinhoso,
se mostra frio e ganancioso
perpassa minhas barreiras
e adentra minha solidão
me perturba ao longo do dia
e me faz perder a paz.

Sei que só eu posso enfrentá-lo,
pois se não eu, ninguém mais o vivenciou.
Cabe a mim cumprir a tarefa de virar a garrafa
deixar escorrer o líquido verde
destruir minhas ilusões disfarçadas,
deixar a mesa e alcançar a escada,
cabe a mim não dizer mais nada.
Apenas sair a porta e adentrar
a madrugada.

Apesar de sentir,
sinto que quero me abster
do absinto.

Sara.

Perguntas.

Hoje uma semente de dente-de-leão
pousou sobre mim.
Logo me lembrei daquela vez
Em que eu recitava meu poema
e alguém contou-me uma história.
Certa vez, ele se questionava
Por que em todo lugar nascia mamona?
Quando algo caiu no bolso
da sua camiseta.
Era uma semente de mamona.
É curiosa a forma como a natureza
responde as nossas perguntas, né?
O  mesmo se dá com o dente-de-leão,
que é levado pelo vento
ou arrancado por uma mão,
que com uma boca insistente
assopra um ou mais
dente-de-leão.
Esse é o milagre da polinização.


Sara.
















Autor da foto: @thavlosk - Thales Silva
Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Dente_de_Le%C3%A3o.jpg

Contemplação.

Não sei se é uma questão de fé,
mas estava ali
diante de mim, o amor
materializado em duas pessoas.

E antes do que eu esperava
palavras de uma sábia
tocaram fundo a alma dos presentes
inevitavelmente elas vieram
escorreram
por que na origem delas
algo havia sido mexido.

Mais do que encantamento
eu estava radiante
não por mim, mas por eles.

A vida é uma incógnita
a poucos dias fiquei feliz ao perceber
que não estou apaixonada
E dias depois presencio
o amor em plenitude
Um amor de outros
compartilhado.

A história daqueles dois é tão real
que me fez ter fé
no mundo e nas pessoas.

Caberá ao amor
decidir
se adiante há mais estrada
ou se isso é o fim.

Sara.
Em homenagem a Debora e Antonio.