Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

Sobre Sentimentos.

Para onde vão os sentimentos que não são ditos?
viram poema,
escorrem pelas lágrimas
escorrem pelo ralo no banho.

Para onde vão os sentimentos que não são ditos?
Vão para o não dito.
Lugar de não conflito

Para onde vão os sentimentos que não são ditos?
Estão entre,
entre os corpos que se repelem.
entre o que se atrai e o que rejeita.
entre os mundos
entre silêncios e corpos.

Para onde vão os sentimentos que não são ditos?
São como fluxos flutuantes compartilhados
São tubos que nos conectam
apesar e também pelos pólos opostos.

Para onde vão os sentimentos que não são ditos?
eu e você sabemos
eles estão nos silêncios
que agora compõe essa relação.

Sara.


Fonte: https://opiniaocentral.wordpress.com/tag/notas-sobre-o-silencio/
Amós Oz





Plutão Já Foi Planeta - Daqui Pra Lá

Daqui Pra Lá
Plutão Já Foi Planeta

Venha me contar
Uma historia de nós dois
Eu te espero acordada
E deixo o tempo pra depois

Venha me contar
Uma historia de nós dois
Eu te espero acordada
E deixo o tempo pra depois

E você me diz,
E quantas vezes já ouvi
Nunca é demais
A paz que você me traz

Me escreva uma canção
Num dia de domingo
Traga uma chuva pra nós dois
Deixa o tempo pra depois

E você me diz,
E quantas vezes já ouvi
Nunca é demais
A paz que você me traz

Me escreva uma canção
Num dia de domingo
Traga uma chuva pra nós dois
Deixa o tempo pra depois

Letra por https://www.letras.mus.br/plutao-ja-foi-planeta/daqui-pra-la/
Composição: Sapulha Campos / Gustavo Arruda
Enviada por Gustavo

Vontade em Setembro.

Era como um verso pulsante
que fugia do meu controle
era um espinho
brotava sem eu perceber
e me tomava.

Me fazia reviver tudo contra o qual eu lutava
para viver
Era como uma grande onda
que me deixava sem ar.
Inundada, eu já não respirava
por vezes engasgava com meu soluço.
Com o rosto encharcado
eu sentia pena de mim.
Depois de alguns instantes
a respiração voltava ao normal
e eu me perguntava
como cheguei naquela situação.
Eu sabia que a vontade retornaria
Era como um animal que se escondia na água.

Submersa ela me provocava
ânsia, angústia.
Submersa, ela me tirava
da calmaria e me fazia perder o apetite.
Seu eu lutava para conter as águas
ela brotava para desfazer a represa
e o que sobrava de mim
resistia apesar das suas investidas.

Meu meio sorriso de canto
já não se fazia
pois não havia sentido em sorrir para o vazio.
Até que fiz um corte
e os dias se passaram
e como uma ferida que coagula,
se fecha e sara
eu me fechei.
Ainda me pergunto se ela retornará
Mas eu no entanto,
vivo …

Desvelo.

Eu vivi sobre a sua fantasia
Eu a vesti
Eu a comi
Eu investi em viver sobre a sua fantasia.

Eu tentei desvelar seus pensamentos,
pois sua forma de existir me fascinava

Eu te reconheci como significante
da minha existência.

A você entreguei meus pensamentos,
meus dias,
meus segredos
Tudo o que eu já quis dar a alguém.

Mas você era minha fantasia
"Como poderei viver, como poderei viver
sem a tua, sem a tua,
sem a tua companhia."
E como fantasia que o tempo desfaz.
Você me desfez
Hoje eu te olho e te enxergo
como fantasia
e sinto saudade
de quando vivia
sobre sua fantasia.

Olhando para a estrada detrás de mim
eu me pergunto:
Se você era minha fantasia
o que eu era pra você?
Quem sabe um dia
você tenha coragem pra dizer
o que eu signifiquei pra você.

Sara.