Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2018

Aquele que não tem Nome.

É quando você simplesmente se apaga
e não te resta mais nada pra deixar levar...
É como beirar um abismo e não se jogar
Deitar sobre o chão e insistir em encarar o sol
É como queimar cartas que não foram entregues
É sentir demais e não saber como parar
É desejar o acabado
o retorno do que foi dado
o começo do fim
É açoitar as próprias costas
a fim de espiar os pecados
nunca cometidos
apenas desejados.
É um descontentamento
a espreita de pequenas alegrias
que na estrada aparecem
apenas para serem levadas por esse sentimento.
É apagar o que não foi escrito
apenas pensado
sonhado.
É um desconcerto
onde nada toca
onde o silêncio quer e toca a alma de quem para pra ouvir.
É uma corda de violão arrebentada
descompassando as músicas
sendo indesejada.
Esse é o sentimento.
Aquele que não tem nome.

Sara.

Vazante.

Eu quero fazer uma cartografia desse sentimento.
É um rio vazante que se estende por mim.
É despretensioso,
mas sem tardar seu peso me joga ao chão.
Grandes suspiros me tomam
e eu lamento cair,
mais uma vez,
sobre esse sentimento.

Eu sinto demais
e de tanto sentir
eu canso.

É um tecido remendado que sempre rasga
e eu novamente costuro
porque é o único que tenho
não dá para me livrar desse sentimento.

Caída ao chão eu reflito
chegando às mesmas conclusões
eu minto
de que não permitirei que se repita.

É cruel se ver refém de um rio vazante,
que não se importa com as barragens,
ele sempre rompe.

Dedicada a divagar
eu aceito a velocidade dessa água
eu aceito a violência dessa água
eu aceito a existência dessa água
em uma tentativa tosca de deixa-la correr
de mim.

Sara.

Seja Água.

Eu ouço um grito.
Um grito de dor.
Um grito que diz que eu não caibo no seu mundo.
Essa voz geme.
Porque sou uma inconsistência,
uma incoerência no seu mundo.
Perfeito mundo.
Pra quem?

Eu amo essa voz,
mas eu sou a diferença.
Eu sou um ponto fora da curva
que questiona o seu mundo.

Eu não pedi por isso
eu não escolhi a sua dor,
mas eu escolhi me amar
e isso afetou o seu amor
pelo seu mundo.

Cristo também era a diferença
Ele era amor
e também afetou o mundo
que o rejeitou.
Ainda assim ele amou.

Me permita embalar seu choro
em meu longo abraço.
Nada mais tenho a oferecer.
Eu sou pobre,
a grandeza reside nos homens e mulheres feitos.
Eu sou constante mudança
Se permita ser também.

Seja água.
água que transforma.
Ora líquida, ora sólida
ora nuvem, ora chuva,
ora quente, ora fria,
ora fraca, ora forte
ora desejada, ora incômoda
ora poça, ora rio,
ora mar,
ora gente.

Sara.