Pular para o conteúdo principal

Postagens

Universo

Perdemos a batalha, serão tempos sombrios, mas nós somos Luz.
Um certo livro sagrado diz:
Luz do mundo e Sal da Terra
é o que nós somos.

O sangue que se derrama por ódio a existência
A dor que atravessa o peito
O medo roubando o sono
e a paz do dia
Nada parará essa Luz

Porque nós viajamos pelo espaço
Em anos Luz
nos chegamos a nós mesmos
Pousamos no porto da nossa aceitação
Encontramos com os seres de outros planetas que
reconhecem em nós o mesmo pó
que os originou

Em anos Luz
nós chegamos ao segundo sol
aquele que brilha
quando a gente se encontra

Nós somos Luz
e também somos trevas
e por aceitar a nossa escuridão
fazemos da noite estrelada nossa casa.

O ódio
nem a violência
nem o medo
que nos é imposto
não atingem essa Luz
Ela dissipa aquilo
que a ela não pertence.

Nós somos Luz, Amor, Paz
e Escuridão, Dor e Raiva,
Nós somos Medo, angústia
Somos muitos e mais diversos
e é por isso que Resistimos
Existindo.

Sara.





Postagens recentes

Em meu deserto cheio de vida

As pessoas estão tão sozinhas

Havia um deserto
e eu me enterrei nele
A noite faz muito frio
então me lembro dos tempos duros
daqueles em que esfriei minha alma
para enfrentar a escuridão
As marcas dos meus ferimentos
latejam quando a noite cai

O dia é muito quente
e me lembra dos tempos amargos
aqueles em que eu não tinha fome
porque o desejo de vingança me alimentava
Eu me rastejava pela vida
desejava matar aquela dor
Sonhava com a morte
mas chorava ao acordar
e perceber
que a vida ainda me habitava.

Queria me despir do meu corpo
arrancar meus cabelos
me atirar na mata
e viver o que a terra me desse.

Havia um deserto
que tinha noite e dia
mas também havia nascer e por do sol
e nesses momentos eu tinha vida
e me lembrava que estar ali não era minha escolha

Por longos dias eu não quis sair
mas a vida em mim persistia
e quando dei por mim eu ansiava
pelo sol
e amava a lua.
Vê-la se tornou um hábito,
depois uma paixão
Quando vi, ela já me preenchia.

Foi naquele dia
em que eu a queria gra…

Aflorar

Era verão e naquela tarde calorosa
senti minhas mãos suarem de apreensão
Era fantasioso o medo da impermanência
dos meus sentimentos
Era mais temeroso perder a sua partida
Senti por breves momentos uma brisa quente
bater sobre minha cabeça e meu rosto suado
Era como um abraço que você tinha me dado
De repente tudo estava claro
e eu sabia que precisava me lavar
me despir, me encharcar de mim
Tenho carregado vocês aqui dentro
lutado pra arrancar do meu peito
esses brotos que insistem em nascer
Mal me dou conta das raízes profundas
que nasceram em mim
Como convencer a uma floresta
que a queimada limpará
e não a destruirá
mas permitirá
que nova flora nasça?

Sara.

Minha Paciência, Meu Lar.

Me descontrolo
me perco
não me acho

Em devaneio de salvacionismo
perco a noção de que
sou mais um eu no mundo
e que no fundo
minha única certeza
é a morte.

Em um descampado
paro e penso
tomo minhas decisões
mas quando na rotina
perco a sina
me jogo no caminho
é sentimento demais
não dou conta
a experiência  me sufoca
mata minha teoria.

E nesse curto sonho do destino
o rei dos sonhos me mostrou
a dama que me acompanha
sem que eu perceba sua companhia.

Ela, aquela tão serena
tão quieta
que me trás tanta força
me sustenta
me acalma, é meu alento

A dama dos meus sonhos
me toma em seus braços
e sussurra palavras que não quero ouvir
ela me educa, me ensina a caminhar
ela me mostra os detalhes
e me indica onde devo parar
Minha Paciência, é meu lar.

Sara.

A-mante.

Eu estou cansada desses amores vadios
que não permanecem
que não se permitem sentir
Estou cansada de forjar minhas amantes
e sustentar o meu desejo e o seu desejo
para que "isso" não acabe.

Será que eu tenho medo dos amores reais?
daqueles que acabam?
Mas depois de tantas lágrimas soltas
inundando meu corpo
rastejando pela pele
a procura de preencher o vazio de outros
Tem algo nascendo aqui.

Sabe aquela vez em que você segurou minha mão
tão de repente que eu não soube lidar?
Sabe aquele olhar de procura que você lança pra mim
achando que eu não estou vendo?
Sabe a sua fuga repentina de mim? A sua tentativa de me apagar?
Não da mais pra sustentar.
Eu vou deixar cair
não com a fria esperança de que você volte
e diga o que realmente sente por mim.
Eu vou deixar cair
deixar ir
de mim
as vontades que eu engoli de você.

Sara.

Choro na Madrugada.

Noite passada eu acordei chorando ainda no escuro limpei meus olhos e depois voltei a dormir meu sonho me lembrava de um passado sem esperança de quando eu me deparava com sua doença e não conseguia entendê-la eu somente sentia o desamparo que a sua falta de afeto me deixava Você gritava comigo eu tentava te ajudar você recusava no sonho eu não chorava mas na realidade sim Ao acordar me dei conta da gratidão que eu sentia por hoje você não gritar mais comigo ainda que eu não consiga retribuir o seu afeto Agradeço porque a desesperança terminou e hoje posso te ver bem. Minhas escolhas nem sempre te agradam porque faço da mudança minha casa e construo com a experiência minhas asas e você nunca se permitiu voar, não que você não quisesse apenas haviam pesos demais sobre você que por um tempo te impediram de ver a luz Mas hoje por outro caminho você se conduz e tenho orgulho disso.
Sara.

Meu Pedaço de Você Quebrado.

Ando pelas ruas perseguindo a sombra de alguém
Distraidamente me pego repensando aquele adeus
Discutindo sobre meus erros
Sem conseguir de fato te dar fim
Como você me deu.
Não houve um abraço
Nem uma despedida
E quando dei por mim
Você já tinha estabelecido um muro em seu olhar
Uma rota de fuga das minhas palavras
Um guarda costas contra a minha figura
Uma placa de "não se aproxime, coração raivoso"
Mas eu, logo eu
Me permiti te sofrer, pra te deixar ir
E ainda assim, percebo resquícios de você aqui
Quando passo a mão no peito
sinto uma pequena elevação
Como se eu estivesse guardando algo quebrado
Não acho que seja meu coração
Talvez seja apenas o retrato que eu tinha tirado de você
Aquele que se quebrou naquele dia
que você me disse adeus, sem dizer nenhuma palavra.

Sara